Eu quero ou eu preciso?


Em tempos de crise, esta é uma pergunta que devemos fazer sempre que nos deparamos com uma oferta, promoção ou outro tipo de abordagem que recebemos diariamente como vitrines, comerciais de TV, e vendedores diretos, inclusive aqueles que aparecem no seu local de trabalho.

Não é porque um produto ou serviço está em promoção que devemos consumi-los sem necessidade apenas para não ficar com a sensação de ter perdido uma oportunidade.

Para um consumo consciente a ordem deve ser inversa: primeiro eu constato que preciso de algo. A partir daí eu pesquiso onde adquirir, os preços praticados pelo mercado e as condições de pagamento.

Assim, quando decido comprar já sei quanto vou pagar - de preferência à vista conseguindo algum desconto - ou se parcelado, tendo a certeza de que a parcela cabe no meu orçamento mensal.

Caso vá comprar roupas, por exemplo, faça antes um inventário em seu armário. Primeiro, será que tem espaço para mais roupas? Se encontrar roupas da mesma estação do ano anterior que você não usou é hora de se desfazer delas. Separe e doe, vai fazer muito bem para você e para o próximo, além de melhorar o ambiente do quarto ou closet. É comum pessoas encontrarem peças ainda com etiqueta quando fazem este tipo de levantamento.

Quando finalmente for às compras vá com foco, compre somente aquilo que apurou que precisa naquele inventário que fez. Certamente você ficará tentado a comprar mais do que precisa porque será bombardeado durante o trajeto, mas é preciso resistir e se tiver dúvida quanto à relação custo x benefício, não compre naquele dia.

Valorize cada centavo que passar pelas suas mãos, tenha um relacionamento sério com o seu dinheiro para realizar sonhos.

Posts Em Destaque
Posts Recentes